domingo, 25 de abril de 2010

25 do 4. Sempre!

Alvor, 6 de Outubro de 2008
LIBERDADE

Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

Sophia de Mello Breyner Andresen
in Mar Novo, 1958

3 comentários:

Anónimo disse...

Uma gaivota,voava,voava...

gb

Rosa dos Ventos disse...

Em Sophia o problema é a escolha!
Tanto poema que ela tem evocando a liberdade...
Lindo, este!


Abraço

José Freitas disse...

Um programa recente da SIC Notícias disse mentiras sobre o caso «Equador», que tem partes copiadas de «Cette nuit la liberté».
MST é um «moralista» anti-Esquerda, refiro-me a Esquerda de facto e não a esquerda troikista.
A Censura anda muito activa nos comentários dos blogs. Espero que deixe passar este comentário.
Em www.anticolonial21.blogspot.com está a verdade inconveniente sobre a cópia de partes de «Cette nuit la liberté» por Miguel Sousa Tavares para o livro «Equador».